Uma hora a gente vira Borboleta....

Olá minhas queridas leitoras! Espero que estejam bem!
O post de hoje é pra falar da transformsção de nós...meninas, mulheres, mães. 
Sabe, tenho me pegado durante vários momentos no dia pensando na minha vida. No que já fui, no que já fiz, e ao mesmo tempo comparando com o que sou e tenho feito...e pensando no futuro disso. A gente amadurece, claro, com a vida, com o tempo, mas a maternidade...ah, a maternidade faz verdadeiros milagres!
Não sei se essa fase em que o Aquiles está,  pode estar influenciando  os meus pensamentos; ele está tão ativo, entrosado comigo...mesmo sem saber falar batemos o maior papo!!! Ele tá tão esperto e ás vezes me pego olhando pra ele e pensando no que eu já fiz por esse pequeno, e o que mais eu posso fazer. Até onde eu vou conseguir ir para ser uma pessoa melhor por ele...? Sim, porque é tudo por ele, pra ele. Quando nos vemos só no mundo, sem amarras, viajamos intensamente nas aventuras do ser, do viver, errando, aprendendo, errando de novo e sempre se aventurando ...ora, para onde mais iríamos? por quem voltar? Para quem voltar? e porque não tentar

Mas quando somos pegas pela maternidade bate o medo. O medo de errar, de ser um mal exemplo; medo de não fazer direito, medo de não poder concertar, medo de criar, de mal criar, medo de não ser o que gostaríamos de ser. Então paramos de tentar a esmo...de se aventurar sem amarras na vida. Mas isso não significa estagnar. Não não...muito pelo contrário, aí é que começa a vida de verdade, é aí que você começa a mais difícil, laboriosa porém prazerosa jornada da sua vida: A de ser melhor, se reinventar, evoluir e não mais por você...mas por ele...pra merecer tê-lo alí, fazer o certo, concertar os defeitos, refazer os caminhos, acertar as vielas.... 
Eu tenho tido essas conversas comigo mesma, procurando enxergar quem eu era e de que forma poderia ser melhor. Tenho procurado observar o que posso manter, guardar, repetir, e o que devo jogar fora, desfaser, desiludir. 
A maternidade me fez mais mulher, me fez ver que as verdadeiras batalhas são travadas no nosso íntimo, consigo mesmo. A maternidade me fez ver que o tempo é tão precioso, que às vezes passa voando, e meu bebezinho vira um bebezão....e ás vezes passa devagar, e tenho que esperar a poeira baixar...as coisas melhorarem...a tempestade passar, a vida acontecer.
A única certeza que eu tenho hoje, é essa imensa vontade de ser melhor, pelo meu Aquiles. Nos atos, nas palavras, na vida. Ele precisa de mim e eu preciso dele. Já era hora de deixar a velha roupagem de lagarta e virar borboleta.
:) :,( ;) :D :-/ :? :v X( :7 :-S :(( :* :| :-B ~X( L-) =D7 :-w s2 \m/ :p kk

0 comentário

Postar um comentário

Obrigada pela visita e comentário! Eu e Aquiles agradecemos muito! Um super beijo!