Bem coisa de Mãe: De olho no desenvolvimento do filhote...

Olá queridas leitoras!!! Sempre começo fazendo uma saudação às meninas, mas descobri há pouco que tenho público masculino também...rsrsrs legal né?
Então...Olá pessoal, fica mais adequado.
Bem, toda mãe AMA quando começa aquela fase do baby que ele inicia os primeiros passinhos, começa a ter mais expressões, tenta balbuciar algumas palavrinhas...enfim, tudo de novo que o baby faz é motivo para uma explosão de amor dentro da gente. É também a fase em que as mamães se preocupam com o desenvolvimento, se tá tudo certinho e talz, mas as mães de prematuro hão de concordar comigo: a gente fica com o  dobro de preocupação a esse respeito.
Logo nos primeiros meses de gravidez ganhei de minha mãe um livro chamado" A vida do bebê" do Dr. Rinaldo De Lamare. Eu amo esse livro, é um livro muito completo que vai até quase os 3 anos do bebê, passo à passo, mês á mês. No entanto sabemos que mesmo a maior e melhor literatura do mundo não substitui a prática, nem as experiências já vividas por outras mães, e que cada bebê é um caso à parte. O desenvolvimento de um não é o mesmo do outro e por aí vai. A questão é que ter uma referência ajuda e muito, principalmente se for de um pediatra, apesar de eu desconfiar de algumas coisas que vejo e ouço por aí...rsrsrsr.
Por isso vim hoje compartilhar com vocês um pouquinho do que tem nesse livro e também o que tenho lido a respeito dessa fase do bebê, entre 1 ano e 3 meses até 1 ano e meio. São informações bem legais mas que não dispensam a leitura na íntegra do livro, e também a consulta à outras fontes, eu gosto muito de fóruns a respeito na net e também do site Baby Center.
O Aquiles fez 1 ano e 3 meses agora, mas a gente sabe que pela prematuridade ele ainda não tem biologicamente o mesmo desenvolvimento, mas algumas coisas ele já faz.
Uma das coisas que li e que achei bastante legal é sobre a formação da personalidade, que já começa nessa fase com as "repetições" do que fazemos. Apesar de parecerem tão pequenos já prestam a atenção em TUDO  o que fazemos...pra fazer igual!!!
O comportamento emocional é bem claro, ou se empolga com algo, tipo um brinquedo, ou de cara já se irrita, é aí que começam as BIRRAS mamães, e cabe a nós mediar isso. O Dr. Rinaldo explica que é nessa fase que devemos deixar bem claro o que pode e o que não pode, o que é admissível e o que não é, pois já são perfeitamente capazes de compreender isso, bem como ensiná-los a guardar os brinquedos ou algo assim. É nessa fase também que eles começam a querer menos leite (na mamadeira) eu fiquei meio assustada porque o Aquiles começou a querer mamar menos...mas depois vi que era normal depois.
Nesse livro, também em todas as fases, há uma espécie de pequenos testes que ajudam a desenvolver a inteligência. Eu sempre faço com o Aquiles, nesse período alguns deles são:
  • Jogar e receber a bola de um adulto;
  • Recordar-se de algo após 3 minutos: Dê uma caixa com um brinquedo para o bebê, depois tire a caixa e o brinquedo de dentro e espere 3 minutos, devolva-a e ao abrir o bebê deve notar a ausência do brinquedo;
  • Compreender uma ordem, como: - Venha até aqui, ou - Peque tal brinquedo;
  • Executar movimentos difíceis, como montar dados que caibam um dentro do outro ou brinquedos de encaixe;
  • Demonstrar preferência por coisas chamativas e coloridas, como ao apresentar um cartão de uma só cor e um colorido.
Esses são só alguns testes, mas existem muito mais atividades que podemos fazer com nossos bebês que ajudam bastante!
Outra coisa que fiquei muito surpresa de saber é que devemos ter muito mais cuidado com a escolha dos brinquedos do que pensamos!!! Apesar de ficarmos sempre preocupadas com os riscos de um brinquedo machucar ou não, descobri que brinquedos e até mesmo brincadeiras inadequadas (que provoquem irritação ou medo) podem tornar um bebê tão infeliz quanto a falta de carinho!!! Que coisa não?
Bem, ainda tem muito mais coisas que eu quero compartilhar com vocês, como a alimentação, a quantidade de comida que o bebê deve ingerir por dia (a gente fica suuuper preocupada se eles estão comendo bem ou não, né?), entre outras coisas, mas para o post não ficar exaustivo e enorme, hoje vou parar por aqui, e deixar a indicação do livro, mas volto em breve com mais um "Bem coisa de mãe" falando mais do desenvolvimento. Um super beijo e fiquem com Deus!



















Falta emprego ou falta qualificação?

E a odisseia da busca do emprego continua...
Desde que fui demitida ainda no quarto mês de gravidez do Aquiles que eu não consegui mais emprego. Na verdade tenho que ser sincera, não procurei mais também...apenas no início, queria ficar em casa cuidando dele. Acontece que as contas continuavam a chegar e cheguei a conclusão de que não podia mais esperar. Isso já faz um tempinho, o Aquiles estava com 8 meses quando resolvi que sairia em busca de um novo emprego. O que ocorre de lá pra cá é a mais dura realidade da sociedade brasileira: a gente não acha emprego!!!! É difícil pra caramba....
Não sei se em toda cidade há um Posto de Atendimento ao Trabalhador, mas aqui tem, e sempre que vou até lá sempre tem algo que "cabe' no meu currículo, algo que eu sei que consigo desempenhar bem. No entanto o que tenho visto, inclusive comigo, é mais a falta de preparo, de qualificação do que a falta do cargo, do emprego em si.
Frequentemente vejo cargos que facilmente eu poderia estar ocupando se eu tivesse terminado minha pós graduação pela USP. Diga-se de passagem que acabei largando porque, ou eu trabalhava para viver...ou estudava e morria de fome! rsrsrsr... Outros cargos também acabam me esvaindo pelas mãos quando me deparo com a dura realidade do professorado de hoje: se você não tem nenhuma formação em Pedagogia ou Psicopedagogia, você não é uma primeira opção. Eu sou formada em LETRAS/ Português e Inglês, mas apenas isso e meus 12 anos de sala de aula não bastam para que eu seja admitida, eu preciso me atualizar.
Honestamente eu já sabia disso, a questão é ter filho pequeno pra cuidar, casa e marido e ainda arrumar tempo e dinheiro para tal. Com certeza o que ocorre por aí é o mesmo que ocorre comigo: falta qualificação e não emprego. Infelizmente as pessoas não tem a formação mínima necessária para desempenhar as funções que estão à disposição; e forçosamente não por culpa delas (isso seria uma minoria), e sim por uma questão de oportunidade, no caso a falta da mesma. As pessoas não tem oportunidade de crescer na carreira e por muitos motivos: falta de incentivo, baixo salário, o que obriga as pessoas a se matarem de trabalhar e esgotar seu tempo trabalhando e não buscando instruir-se para crescer profissionalmente, má administração dos recursos públicos para o aperfeiçoamento profissional em praticamente todas as áreas, e principalmente a má qualidade da educação de nosso país, que libera milhões pra fazer uma copa pra "inglês" ver, e deixa nossos alunos à mercê da boa vontade dos professores, mal assalariados, que mesmo em péssimas condições de trabalho, ainda buscam resgatar os princípios da verdadeira educação de base.
Então caras amigas...a realidade é essa, falta mesmo é qualificação, aperfeiçoamento e não emprego.
Falta mesmo é vergonha na cara de nossos governantes em fazer algo melhor e  vergonha na cara à nós eleitores, cidadãos, que frequentemente deixamos de fazer o nosso papel.
Mas eu vou reverter isso, se Deus quiser, vou arrumar um emprego em breve, vou voltar a estudar e voltar a sonhar um dia com uma sociedade mais justa onde haja emprego, qualificação e tempo pra nós, nossos filhos e todas as gerações advindas.
Um super beijo!

Bem coisa de mulher: Organizar e otimizar o tempo!

Olá meninas!
Cá estou eu de volta, na casa da minha mana porque ainda não resolvi a pendenga com meu notebook.....Mas isso é o de menos! Hoje estou aqui para tratarmos de um assunto importantíssimo para todas nós: o TEMPO. 
Que nós somos capazes de fazer várias coisas ao mesmo tempo , isso até a medicina já sabe, mas será que isso é bom mesmo? Será que se nos organizássemos melhor,  não teríamos muito mais qualidade no que fazemos e muito mais tempo para nos dedicar àquilo que realmente importa? 
Bem, tarefas não nos faltam, é a casa, as roupas, a comida, os filhos o marido a carreira......e ainda tem o pessoal, a nossa auto estima que muitas vezes fica baixíssima, por conta do stress e do cansaço da carga exaustiva de trabalho diário, afinal quem tem cabeça pra se arrumar, se cuidar, depois de tanto trabalhar???
Bem, pensando nisso tudo e com a cabeça cheia, eu decidi que daria um rumo diferente pra minha vida esse ano, chega de stress, de cansaço, de falta de ânimo e montanhas de coisas pra fazer. Eu queria poder encaixar tudo e além disso ter tempo para pensar um pouco em mim. Então andei lendo muita coisa sobre e pesquisando muita coisa na net também e com essa baita ajuda que tive, me inspirei pra escrever pra vocês.
A primeira coisa que devemos fazer é por no papel tudo o que realmente importa, e dividir isso em áreas como as que eu citei, casa, trabalho, pessoal...e etc. cada um é claro terá uma maneira individual de fazer isso. Depois devemos estabelecer pequenas metas diárias a serem alcançadas, nada muito exaustivo, algo que você consiga cumprir, e que abranja o que é mais valioso dependendo do dia da semana. Por exemplo: tente não colocar nada referente ao trabalho num Domingo, procure dividir as tarefas referentes a trabalho na semana mesmo. E não esqueça que é fun-da-men-tal-o momento para descansar, e pode ser com os filhos, com o marido...
Em relação à casa, não se mate de tanto limpar, procure dividir a faxina na semana toda ao invés de deixar tudo para um dia só;lave roupas e passe-as sempre que der, pra não ficar aquela montanha de roupas que acaba com qualquer bom humor no dia.
Fazendo um pouquinho todo dia de cada área que especificarmos, não pesa e a gente tem tempo para respirar. O importante é lembrar que nenhum planejamento é igual ao outro, que cada um tem suas próprias necessidades e horários e não se apegue a detalhes do tipo: por que não posso malhar de madrugada se foi o único horário que deu? Qual é o problema de lavar roupa às 23h55 da noite? 
 E outra...a gente seeeempre tá mudando nosso esquema de planejamento, como o próprio Einstein dizia: tudo é relativo, e tudo está em constante transformação no universo.
Mas faça isso, elenque o que é mais importante, depois o que pode ser feito esporadicamente, depois o que vc fará quando der. Não se sufoque, seja organizada, e ganhe tempo. Uma boa rotina deve ajudar ao invés de estressar, vamos rever nossos planos, estabelecer metas para alcançá-los e trabalhar organizadamente para os mesmos, e isso vale até para aquela louça que ficou na pia de ontem para hoje....ou o banheiro que vc ficou de lavar e não deu porque seu baby se sujou todo e mereceu mais a sua atenção....
Espero ter ajudado....e espero mulheres mais bem dispostas e mais lindas depois dessa dica que valeu muuuuuito pra mim!!!
Um super beijo!