Treino, foco e dieta!

OI gente!
Quanto tempo né!?
Fiquei meio ausente porque meu filho pegou uma baita estomatite e amigdalite....nossa...nem quero lembrar!
Bem, o assunto hoje é super alto astral, é sobre dieta, exercícios e foco! Há algum tempo venho tentando manter uma vida um pouco mais saudável, sem tanta porcaria industrializada, não só por uma questão estética, mas também por saúde. 
Então retornei com as corridas. Amo correr! Mas sabe...eu queria mais. Só a corrida não estava sendo suficiente!Eu queria sentir mais adrenalina e por fim, mais serotonina. Então engatei numa dieta, buscando (mesmo!) um corpo que há alguns anos deixei para trás. Não tenho estrias, e muito pouca celulite. Mas sabe, os músculos que já tive como atleta que corria, malhava, e lutava...esses eu já não tenho mais. Além disso só quem já teve filho sabe o quão sofrido é perder a barriguinha depois de um tempo...
Mas esse quadro vai mudar!
Estou muito focada e determinada em fechar a boca para QUALQUER coisa que não seja útil e boa para minha saúde e ganho muscular. Faço corridas diárias e mantenho um treino funcional regular. Uma amiga profissional me ajudou a montar o treino.
Enfim...o trabalho é grande mas a vontade de ter a barriguinha tanquinho depois de mãe também! E eu sei que eu posso, é só ter foco e disciplina! Você também pode, é só querer e batalhar!
Então...marquei 30 dias para começar a ver minha evolução. Logo completa um mês e aí vou ver o resultado e empenhar-me ainda mais!
Bem, deixo aqui o vídeo com o treino funcional que ando praticando, espero que se inspirem e se empenhem em transformar-se também! Basta querer!Beijão!]


Gritaria, pouca comida e rotina de sono!

Olá meninas!
Fiquei uns dias aí sem postar nada aqui porque a correria tem sido grande, mas prometo bem prometido que terei mais frequência nos posts.
GRITARIA.
Hoje eu quero falar de uma fase pela qual o Aquiles está passando e, consequentemente eu também. O Aquiles agora está com uma mania estranha de gritar. Tudo o que ele pede é gritando. Água, suco, algum brinquedo, coisas na rua, na casa dos outros.... ele fica lá resmungando sílabas que só ele entende e apontando para o que  quer em alto e bom som. Se é em casa, a gente tenta relevar (mentira, não relevo nem em casa), mas poxa...na rua??? Na casa dos outros??? Nossa, eu fico louca de raiva e frustrada porque não sei bem o que fazer. Não sabia. Agora sei. E venho aqui compartilhar com vocês. Vou deixar um pedacinho da matéria só pra vocês virem o quão boa é, e depois deixo o link para lê-la inteira. E olha... vale a pena, é muita informação útil! E o mesmo para os outros dois assuntos: Pouca comida e rotina de sono.

"Acredite: seu filho não levanta a voz para te aborrecer. Na verdade, ele está cheio de energia e alegria de viver, e está fazendo experiências com o poder da voz. Mas por que isso acontece justamente quando vocês estão no banco ou no supermercado? 


"Há um efeito de eco superlegal quando você grita em espaços grandes", diz Roni Lederman, do Centro para Família da Universidade New Southeastern, na Flórida, EUA. "E as crianças sabem que conseguirão mais atenção dos pais se gritarem em público". 



Algumas crianças pequenas gritam quando querem a atenção dos pais; outras berram quando querem algo que lhes está sendo recusado, como balas e doces. 


O que fazer

Gritar com seu filho para que ele abaixe a voz não ajuda -- só passa a mensagem de que quem ganha é quem grita mais alto. A melhor aposta é evitar situações que convidem a criança a levantar a voz, e distraí-la quando ela fizer isso. Algumas idéias que podem ajudar:  (...)"

Bem, o link é esse aqui de baixo....leiam, vale a pena!


POUCA COMIDA.
Outro assunto em pauta é a pouca comida....gente, como o Aquiles tem comido pouco! E não é nada com a saúde dele, graças a Deus, mas sabe...eu 'PENO' e muuuito todo dia na hora do almoço pra fazer esse bebê comer! Come pouquíssimo e já não quer mais! O que me tranquiliza é o fato de ele às vezes compensar na próxima refeição, e o fato de ele ainda tomar 3 mamadeiras por dia. E, procurando saber mais sobre a ausência do apetite do Aquiles, achei essa matéria no Baby Center, que também achei super válida, e vou compartilhá-la:

"Crianças entre 1 e 3 anos são famosas por ter pouco apetite. É uma das características mais básicas dessa idade, assim como as loucas variações de humor, os acessos de raiva e a necessidade de fazer uma atividade diferente a cada dois minutos. 


Calma: se seu filho não está emagrecendo, e está se desenvolvendo normalmente, não há motivo de preocupação. É provável que ele esteja compensando o pouco que come se alimentando melhor na próxima refeição, ou com lanchinhos como um leite da tarde. 

É preciso tomar cuidado, porém, porque certas crianças cismam de só comer um ou dois tipos de comida durante semanas a fio. O problema é que, fazendo isso, elas podem ficar com deficiência de vitaminas e minerais. 

Para evitar que isso ocorra, ofereça à criança alimentos que tenham vários ingredientes na sua preparação, que sejam ricos em nutrientes e em calorias. Se ele só quer saber de macarrão, sirva um molho à bolonhesa, com carne moída, e misture alguma verdura na carne -- com o molho de tomate, é provável que ele nem perceba. Também dá para misturar ovo na carne moída. 

Evite lanchinhos que encham demais a barriga e diminuam o apetite na hora das refeições -- se ele não está comendo nada, procure tirar da dieta coisas como bolachas, batata frita, sucos muito açucarados. 

Fique de olho porque muitas vezes as guloseimas são usadas como jeito de dar carinho à criança: sempre que ela vai à casa da tia ganha uma bolacha ou doce. Até o suco de fruta, que é saudável, pode interferir nas refeições se for oferecido no horário errado, ou em excesso. 

Outra idéia é fazer o máximo para tornar a refeição divertida, inventando formas ou brincando com as cores dos alimentos. Convide-o para ajudar na preparação da comida, sempre tomando cuidado com o fogão e alimentos quentes. 

Segure a vontade de empurrar "só mais essa colher para deixar a mamãe contente -- é a última!" Quanto mais você forçar, mais ele vai resistir, porque está na idade em que quer proclamar sua independência à primeira oportunidade que tiver. Especialistas também temem que a prática de forçar a criança a "raspar o prato" leve a hábitos alimentares pouco saudáveis na vida adulta. Leia mais sobre como lidar com uma criança difícil de comer. 

Vá oferecendo alimentos saudáveis e gostosos durante o dia, e confie que no final das contas ele vai sim comer o quanto precisa. E não deixe de levá-lo pelo menos de seis em seis meses ao pediatra para que ele o meça, pese e avalie a curva de desenvolvimento físico. "

ROTINA DE SONO.
Bem...quanto à rotina de sono, tem dado super certo meu mais novo esquema! Para quem não sabe eu tô testando uma nova maneira de por o Aquiles pra nanar, e claro, seguindo várias dicas de especialistas e mamães. E tá funcionando bem! Para quem quiser saber mais vou deixar o link do vídeo que explica melhor isso, aqui.


Bem, meninas, espero que tenham aproveitado as dicas! Um super beijo e até o próximo post!